29 de ago de 2014

Por sorte, a moda dos Marketplaces está sumindo

No Fórum EcommerceBrasil, sugeri publicamente que todos os que trabalham em marketplaces (tinha pessoal da Submarino, Americanas, Walmart e Extra) preparem seu CV, porque a maioria vá sumir. Eu aproveitei que sou Argentino para dizer o que muitos pensam, talvez um pouco agressivo de mais.

B2W continua invistendo em desenvolver algo inutil
Depois de isso esperava algum de eles vir brigar comigo, mas não aconteceu. Então quando cheguei ao computador fiz o que todos fazemos quando queremos saber algo. Perguntei para Google se o interesse por "marketplaces" está crescendo no Brasil.

Por que considero que é uma moda? Vejam a quantidade de matérias publicadas sobre o tema só no Ecommerce News.

Por que a maioria vá sumir? Imagine que eu tenho uma pequenha empresa que quer vender um produto, e coloco ele em todos os marketplaces porque não quero investir diretamente em e-commerce. Primeiro, tenho o desafio de integrar com meus sistemas. Para um produto só é fácil, se não quero controlar online o estoque. Como seria, então, integrar vários produtos com vários sistemas com controle online do estoque? Impossível. Primeira conclusão: o pequeno vendedor elegerá um marketplace, apostando por o que seja mais simples de integrar e dê mais trafego (Mercadolivre é meu candidato).

Agora suponha que uma empresa média fez o investimento (absurdo) de integrar com todos. Começará a vender e, claramente, algum marketplace será melhor que outros. Se tem muito sucesso, abrirá sua loja (não quer pagar 5% - 20% de comissão para o marketplace, talvez mais da metade de seu lucro). Se não tem sucesso, fechará todo por inútil (o que acho acontecerá na maioria dos casos). Se tiver resultados inconclusivos, então elegerá, ao longo do tempo, um marketplace aonde focar a energia (minha aposta: Amazon, incluso não estando seriamente no Brasil). Isso acontecerá porque, como não consegue manter um nível aceitável de serviço para todos os marketplaces, começará a receber comentários negativos dos clientes de algum de eles... E terá que eleger.

Em conclusão, sabendo o final da história, o melhor agora é, para quem quer vender, eleger bem e só um marketplace. E para quem pensa em "criar o próprio marketplace", melhor que tenha um foco bem claro, diferente aos demais, para não sumir em 12 meses.

23 de ago de 2014

Por qué o Título de "Todos Queremos Ser Amazon"?


Esta semana me perguntaram por que coloquei o título que usei na apresentação no Ecommerce fórum. De fato, tinha utilizado um titulo similar numa matéria que escreve num jornal argentino em março de 2013.

Amazon é claramente o líder mundial em Ecommerce.

Então todos os copiam:

  • Preços agressivos como jeito de capturar venda.
  • Construção de um marketplace próprio

Mas não copiam outras coisas mais importantes:

  • Foco no cliente
  • Usabilidade como prioridade
  • Excelente serviço de entregas
  • Foco por categorias incluso com aquisições de lideres

19 de ago de 2014

Por que investir nos funcionários, em treinamento, no prédio e em compartir a visão?



Clientes nunca vão adorar
uma empresa se os funcionários
não a amam primeiro.

E se você pergunta, não sabia quem era Simon Sinek até agora.


16 de ago de 2014

O Fórum EcommerceBrasil 2014

Finalmente na terça feira estivemos no Fórum, um evento com uns 3000 participantes, aonde fui convidado a palestrar. Segue a apresentação que utilizei. Um fato importante: a minha palestra, como em todos os casos, é a combinação entre o documento (Powerpoint, Keynote, Prezi, flipchart, etc.), o que eu falo, como o falo, as pausas e outras formas não verbais da comunicação. Muitas vezes se confunde palestra com Powerpoint. Por isso dificilmente por ver este Powerpoint se compreenda toda a palestra. De todo jeito seguramente terei oportunidades de fazê-lo novamente, porque o feedback que recebi foi bastante positivo.


Quens estiveram comigo nesse evento perceberam como fico ansioso e nervoso antes de falar em publico... Faz parte.

8 de ago de 2014

Freemium: A generosidade como Estratégia de Marketing

Esta semana pedi ajuda a um grupo de empresários e empreendedores para trabalhar melhor este blog. O que aconteceu foi muito interessante.

Guilherme, da Rockcontent, me convidou a falar. Eu tinha receios. Sinceramente não gosto do “vendedor de carros” (o cara que diz o que fosse para vender). Mas de a chance, pensando em que se não fizer, ele insistiria bastante.

A conversa, que eu esperava seja de 10 minutos, poderia ter durado horas. Guilherme começou me perguntando o que eu precisava e, com suas perguntas, conseguiu que eu entendesse isso melhor. Mas ainda melhor, me fez uma sugestão muito legal de como atrair a pessoa que eu preciso para levar este blog a um novo patamar. Uma sugestão gratuita.

Eu não consegui evitar dividir com ele o que eu acho que sua empresa pode fazer por Staples. De fato, o convidei a fazer uma proposta “em frio”, do que ele achasse melhor, que eu iria sponsorear internamente. Guilherme vendeu, sem vender.

6 de ago de 2014

Colocando a bandeira na Lua


Meu amigo Santi (fundador da Officenet) sempre fala "se eu tivesse sabido o tamanho do desafio, talvez minha decisão de ingressar no Brasil tivesse sido diferente"...

A gente começou com "Officenet" no Brasil no ano 2000. A maior discussão de aquele momento foi se precisávamos um call center ou só vender pela web. Por sorte não elegemos ser 100% de E-Commerce, porque não teríamos crescido e, mais provavelmente, teríamos sumido como muitos outros. Não era o momento do Ecommerce. Ainda.

Fast forward, 10 anos. No ano 2010 começamos (de novo) a construir um negócio de Ecommerce. Naquele momento era quase um hobby, um projeto secreto que alguns fazia "no tempo livre". Bem separado do resto, começou a crescer.

De novo, fast forward quatro anos.

Terça feira estarei apresentando sobre estratégia de longo prazo no E-Commerce Fórum 2014, maior evento da região. Já sumiram as discussões clássicas (se vendemos pela web não precisamos de vendedores; ficou demonstrado que precisamos!), alinhamos a toda a empresa detrais dos mesmos objetivos e conseguimos crescer mais de 90% no primeiro semestre em E-Commerce.

90%.

Em palavras do JP:
 "Se pararmos para pensar...
Staples(Officenet) em destaque no maior evento de Ecommerce do BR....era algo ..totalmente FORA DA REALIDADE a poucos anos atrás!
Sensação que vamos colocar a bandeira na Lua..igual aos EUA !!!:)"
 Parabéns, time!

1 de ago de 2014

CSAT de Junho: 83%

O que é o CSAT? CSAT vem de "Customer SATisfaction", satisfação do cliente.

A Staples pergunta em todo o mundo:

 "De 1 a 5, sendo 5 excelente, como você qualifica o serviço recebido na sua ultima compra na Staples?"

para milhes de clientes... E medimos só os "5".

Em outras palavras, quatro de cada cinco clientes dão nota "5" para nós! Parabéns!